WILSON LIMA CONFIRMA DESEJO DE REABRIR COMÉRCIO NO DIA 1º DE JUNHO

WILSON LIMA CONFIRMA DESEJO DE REABRIR COMÉRCIO NO DIA 1º DE JUNHO

O governador Wilson Lima afirmou, neste domingo (24/05), em entrevista a um canal de TV c, que o Governo do Amazonas voltará a analisar  nesta segunda-feira o planejamento para a retomada gradual das atividades a partir do dia 1º de junho. Ele esclareceu, no entanto, que a suspensão de medidas restritivas dependerá da curva de casos do novo coronavírus, que é monitorada diariamente pelas autoridades de saúde. Neste domingo o Amazonas teve a menor taxa de mortes das últimas semanas, com 14 em 24 horas.

“Desde a semana passada, nós sentimos uma queda significativa no número de casos de coronavírus aqui no estado do Amazonas, e eu me refiro a óbitos. Temos acompanhado a quantidade de enterros que têm acontecido aqui na capital, que é um parâmetro mais seguro. Entre o final de abril e início de maio, houve um dia em que foram 167 enterros. Ontem houve 48 enterros, então, nós tivemos uma diminuição significativa”, observou o governador.

Wilson Lima destacou que o Estado, em busca do equilíbrio nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus, sempre priorizou o diálogo com os diversos segmentos sociais na tomada de decisões e que desta vez não será diferente.

“Em algum momento, a vida precisa voltar à normalidade e isso tem que acontecer de forma gradual porque tem muita gente que perdeu seu emprego, principalmente aquelas pessoas que atuam na informalidade, essas pessoas já estão sem recursos, e aí precisamos encontrar o caminho do consenso. Naturalmente, ouvindo os especialistas, e eu tenho conversado muito com os profissionais da área de saúde, do comércio, da indústria e com os poderes, para que isso possa ser feito de forma muito responsável”, frisou.

De acordo com o governador, o Estado poderá adiar a retomada das atividades se os dados epidemiológicos indicarem um novo aumento de casos. “Se em algum momento a gente decidir reabrir a partir de junho e a gente começar a ter uma volta ou uma subida desses casos, nós não temos nenhum problema em retroagir e voltar com as medidas restritivas”, reforçou.

Por |2020-05-25T15:14:00-03:00maio 25, 2020|COMÉRCIO|0 Comentários

Deixar Um Comentário