Com o objetivo de promover o modelo Zona Franca de Manaus (ZFM) e buscar maior integração com a classe empresarial e industrial de São Paulo, a Suframa apresentou nesta terça-feira (31), na sede do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) em Campinas, palestra sobre os incentivos fiscais, as vantagens comparativas e as oportunidades de negócios existentes em toda a área de abrangência da Autarquia.

A ação integra uma programação de atividades que a Suframa cumpre em solo paulista até quarta-feira (1o) com o intuito de fortalecer parcerias institucionais – envolvendo, inclusive, o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) – e conhecer projetos e iniciativas de sucesso que possam ser replicadas em benefício do crescimento socioeconômico, científico e sustentável da região.

No início do evento, o diretor titular do CIESP Campinas, José Nunes Filho, destacou que a Suframa teve um excelente desempenho no último ano de trabalho, a exemplo de outras entidades do governo federal, e chamou atenção também para o fato de a ZFM contar com mais de 500 empresas, o que mostra a grande capacidade produtiva da região. “A Zona Franca de Manaus é um projeto muito interessante. Queremos que o Ciesp seja cada vez mais uma ponte entre a Suframa e o empresariado da região e vamos fazer com que esse contato entre as instituições seja perene dentro do Ciesp e só venha a se multiplicar”, disse Filho.

O superintendente da Suframa, Algacir Polsin, destacou a satisfação da Autarquia de poder estreitar os laços com o CIESP Campinas, o qual conta com aproximadamente 560 empresas associadas, distribuídas em 19 municípios da região e atuantes em segmentos diversos, tais como Eletroeletrônico, Metalúrgico e Químico, entre outros. “A ajuda do CIESP na difusão das vantagens e das oportunidades da Amazônia é sempre muito bem vinda. Nossa intenção é intensificar parcerias, somar esforços e fazer crescer o País como um todo. Estamos abertos a todas as empresas da região, a qualquer tempo, para esclarecer dúvidas e ajudar a mostrar a realidade produtiva e as oportunidades da nossa região”, destacou Polsin.

CBA

Além da palestra institucional da Suframa, proferida pelo coordenador-geral de Gestão Tecnológica da Autarquia, Rafael Gouveia, o evento contou também com palestra sobre o CBA proferida pelo gestor do Centro, Fábio Calderaro, na qual buscou apresentar potencialidades da biodiversidade amazônica e sugerir janelas de oportunidades advindas da bioeconomia. Ao final das palestras, houve uma sessão de perguntas e respostas entre os profissionais da Suframa e os empresários e empreendedores participantes.

Soluções inovadoras

O segundo dia de atividades da comitiva da Suframa em Campinas (SP) foi concluído, nesta terça-feira (31), com ações de conhecimento de expertises locais nas áreas de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) e discussão de possibilidades de interação e replicação de projetos em prol do desenvolvimento da área de atuação da Autarquia (Estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima e municípios de Macapá e Santana, no Amapá).

A comitiva, formada pelo superintendente da Suframa, Algacir Polsin, pelo superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Manoel Amaral, pelo gestor do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), Fábio Calderaro, e por equipes técnicas da Autarquia, foi composta, ainda, pelo general de Brigada José Fernando Iasbech e por representantes dos governos do Amazonas, Rondônia e Roraima.

Palestras

No início da tarde, no auditório da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx), a comitiva assistiu a três palestras proferidas por profissionais da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que abordaram temas diversos, entre os quais “Agência de Inovação da Unicamp (Inova)”, “Laboratório de Redes de Comunicações – Cidades Inteligentes” e “Campus Sustentável: Unicamp como laboratório vivo da Cidade Inteligente”.