Preocupado em prestigiar a moçada que se descobriu empreendedora e já está criando novos negócios a partir das demandas da sociedade, o superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, alertou alguns integrantes do CAPDA, o Comitê responsável pela gestão dos recursos da Lei de Informática, para por reparo nas alvissareiras estatísticas do Amazonas na explosão das Startups, no topo do ranking nacional.

MUDANÇAS PROMISSORAS

E é isso que dá para inferir da nova resolução traz atualizações no texto da Resolução nº 04/2017, do CAPDA,  que disciplinava todos os passos e critérios que os programas prioritários tinham que observar na execução dos seus projetos. E no detalhamento, surgem os jovens empreendedores. Atualmente, os programas prioritários vigentes e que podem receber recursos do Comitê são cinco: Economia Digital; Recursos Humanos; Bioeconomia;  Indústria 4.0; e Empreendedorismo Inovador.

PROCESSOS E PRODUTOS

São inovações inovadoras trazidas com a possibilidade de alocação de recursos de projetos em empresas nascentes de base tecnológica (Startups) que invistam em áreas de desenvolvimento de produto, serviço ou processo inovador alinhado às áreas temáticas dos respectivos programas prioritários definidos pelo CAPDA.

A BOA NOTÍCIA

A empresa startup deverá aplicar, no mínimo, 80% dos recursos financeiros recebidos dos programas prioritários na área de abrangência de atuação do CAPDA (Estados da Amazônia Ocidental e Amapá) e também utilizar os recursos exclusivamente para o desenvolvimento do negócio, incluindo despesas de pesquisa, desenvolvimento e inovação, marketing e vendas, despesas de pessoal e capital de giro, conforme cronograma físico-financeiro descrito previamente no plano de desenvolvimento.