Quatorze municípios amazonenses conquistaram o reconhecimento internacional como zona livre de febre aftosa sem vacinação. O status sanitário anunciado pela Organização Mundial de Saúde Animal, em Paris, é reflexo das constantes ações do Governo do Amazonas voltadas ao setor primário. Esta conquista fortalecerá a economia do estado e contribuirá para a ampliação do mercado brasileiro.

Para Muni Lourenço, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea), essa conquista é um marco histórico. “Sem dúvida é uma grande conquista, que coloca a pecuária do sul do Amazonas no patamar da elite mundial. E consequentemente abre um horizonte muito positivo para mais investimentos, mais geração de emprego, renda e desenvolvimento econômico ao Amazonas”.

Com a conquista de status de zona livre de febre aftosa sem vacinação os municípios poderão atrair empreendedores para fortalecer a economia do estado, contribuindo para ampliação do mercado brasileiro, já que alguns países só aceitam comprar carne proveniente de zonas livres de aftosa sem vacinação.

O Governador do Amazonas, Wilson Lima, ressaltou que o Governo por meio da Adaf, realizou ações para viabilizar o reconhecimento nacional e internacional. Entre as ações estão a implantação de três novas Barreiras de Vigilância Agropecuária; convocação de novos servidores aprovados em concurso público; estudos sorológicos; estruturação e modernização de escritórios da Adaf e diálogo com os produtores.