Com uma previsão orçamentária de R$ 4 milhões para investimentos em Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) no Amazonas, o Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), realizou, na quinta e nesta sexta-feira (23 e 24/07), reuniões técnicas de avaliação e planejamento com gerentes de oito municípios do Médio Amazonas. O encontro foi sediado no município de Itacoatiara, distante 175 quilômetros de Manaus.

Por determinação do governador do Amazonas, Wilson Lima, o objetivo do encontro foi incentivar a integração entre as gerências e discutir os entraves em função da regularização ambiental para que os produtores possam ter acesso às políticas públicas disponíveis para o setor e avançar na produção agropecuária, nos municípios de Itacoatiara, Rio Preto da Eva, Novo Remanso, Urucurituba, Itapiranga, Silves, Urucará, São Sebastião do Uatumã, assim como em outras regiões do estado.

De acordo com o diretor presidente do Idam, Valdenor Cardoso, é muito importante essa aproximação com quem está na ponta, atendendo o produtor rural, ajudando e fazendo com que ele participe dos programas de incentivo dos governos federal, estadual e municipal e visando a regularização ambiental, o acesso ao crédito, a participação em programas de comercialização e assim, investir no aumento da produção.

“Nossa missão é proporcionar ao micro e pequeno produtor alternativas de ocupação produtiva e geração de renda, oportunizando melhor qualidade de vida para as populações”, disse Valdenor. Ele destacou que estudos nacionais realizados pelo pesquisador Eliseu Alves, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), apontam que a maioria dos micro e pequenos produtores rurais não possui estrutura para produção e nem poupança própria para investir e trabalhar.

Para a gerente do Idam, em Urucará, Dulcilene Oliveira, que participou do encontro, programas de comercialização da produção também são outros meios de gerar renda no município, como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Segundo ela, através do PAA, os produtores já estão comercializando a produção de farinha de tapioca, tucumã, limão, cupuaçu, laranja, abóbora, banana, milho verde, mandioca e melancia.

Dulcilene acrescentou que a primeira participação dos agricultores no PAA, aconteceu ano passado, com uma média de comercialização de 1,6 tonelada para o PAA estadual e a meta é aumentar para cinco toneladas. Além do PAA, os agricultores do município também participam do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme).

INVESTIMENTOS

Com quase 80 dias da gestão do presidente do Idam, Valdenor Cardoso, uma força-tarefa foi criada, no setor de Núcleo de Geoprocessamento do instituto, para análise preliminar do CAR, dando suporte à meta de mil projetos de crédito que serão elaborados pelas unidades. O Idam investiu R$ 280 mil em equipamentos e programas de informática destinados a otimizar o processo de regularização ambiental de produtores do Amazonas. Além disso, deu continuidade ao processo de instalação de internet via satélite, iniciado pela gestão anterior, e que já está viabilizando eficiência na comunicação entre a Central e as 66 unidades distribuídas nos municípios do Amazonas.

Segundo Valdenor, 54 unidades locais do Idam já estão recebendo o serviço de internet via satélite, e para apoiar ainda mais os serviços de Ater no Amazonas, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou, em junho deste ano, o edital do Programa de Residência Profissional Agrícola com fins de qualificar estudantes e recém-egressos da área de ciências agrárias. O Idam será o órgão residente desses profissionais do programa.