Com o objetivo de conhecer melhor as atividades e as demandas das empresas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM), equipe de gestão da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) iniciou, no dia 24 de julho, uma série de visitas às plantas fabris da região, sendo a Salcomp a primeira indústria visitada. Na ocasião, além de membros da alta gestão da empresa, estavam presentes o superintendente Algacir Polsin, o gestor do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), Fábio Calderaro, assessores técnicos da Superintendência Adjunta de Operações (SAO), da Coordenação-Geral de Estudos Econômicos e Empresariais e da Coordenação-Geral de Comunicação Social.

Além de conhecer a estrutura fabril da Salcomp, que inicou suas operações no Brasil em 2001 e atualmente faz parte do grupo chinês LY iTech, a equipe da Suframa verificou as linhas de produção da empresa, cuja força de trabalho supera os 1500 funcionários que atuam na fabricação integral de carregadores para aparelhos celulares, notebooks, tablets e máquinas de cartão, além de baterias para smartphones e computadores portáteis, dentre outros produtos.

Durante a apresentação da equipe de gestão da Salcomp, o diretor geral Helido Montenegro destacou a parceria com a Suframa que permite que a empresa possa desenvolver seus projetos na Zona Franca de Manaus (ZFM) e promover o desenvolvimento socioeconômico a partir da geração de emprego e renda, o que é reconhecido pelos investidores internacionais do grupo LY iTech. As oportunidades geradas pela ZFM viabilizam, ainda, o investimento em projetos na região a partir da utilização de recursos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), uma contrapartida obrigatória para usufruto dos incentivos do governo federal. Projetos estes com aplicabilidade direta na sociedade, inclusive em parceria com empresas locais, como a Amazonas Energia.

O superintendente Algacir Polsin demonstrou satisfação com o trabalho realizado pela Salcomp no PIM e, na oportunidade, ressaltou que entende que o papel da Suframa “é de ser integradora e facilitadora de processos, tendo a atribuição de viabilizar que empreendimentos como estes possam se instalar no Brasil, dando oportunidades à sociedade a partir da geração de postos de trabalho, além de tantos outros benefícios”.