Com todo o gás que Deus lhe deu, o Coronel Alfredo Menezes – escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para por ordem na casa da Suframa desarrumada pelo tempo e falta de apoio federal – chegou para fazer acontecer. Havia muita coisa parada nas boas intenções de seus antecessores. Faltava apoio do poder executivo federal para as ações se concretizarem. E o que se viu em 11 meses. Neste espaço vamos rememorar estas ações. Isso é importante para que todos tenhamos presente que, quando o servidor dá conta do recado é sinal que quem lhe deu as missões está consciente das condições de trabalho. “Sou um soldado do presidente e estou cumprindo ordens com muita alegria, compromisso e disciplina”, diz o Superintendente.

PROTAGONISMO CIVIL E MILITAR

Quem vê o Superintendente convidar parceiros, líderes nas entidades do setor privado, para percorrer projetos do Distrito Agropecuário da Suframa, entende o que significa um bom soldado. A missão, que começou com o resgate do protagonismo da Suframa, por obra e graça do que estava escrito nas estrelas, significou renovar o projeto original da ZFM. “Voltamos com os ânimos revigorados, 52 anos depois”, reafirma o Coronel Alfredo Menezes. Nos primórdios de 1964, a ordem era integrar para não entregar a Amazônia à cobiça estrangeira. Poucas pessoas conhecem e se envolvem com tanta paixão e brasilidade como os militares. Selva!!!

PRIMEIROS PASSOS SURPREENDENTES MEXERAM COM OS BRIOS

E recuperar o protagonismo da Suframa na região significa promover sua reinserção no desafio histórico do desenvolvimento regional com uma proposta ousada, factível e imediata. Planos não nos faltam. As ideias e as soluções passaram a ser postas em prática, gerando resultados não apenas na área coberta pela Zona Franca de Manaus (ZFM),a Amazônia Ocidental, mais Amapá, assim como em outras regiões do Brasil. O importante era dar os primeiros passos com firmeza e prontidão. E isso foi feito de forma surpreendente.

FATURAMENTO DE MAIS DE R$ 100 BILHÕES

Algumas das principais linhas de ações da Suframa neste ano geraram reflexos positivos, o que pôde ser identificado com os novos investimentos aprovados a partir da realização das reuniões do Conselho de Administração da Suframa (CAS), que permitem garantir a segurança jurídica da ZFM. Os Indicadores de Desempenho do Polo Industrial de Manaus (PIM) também demonstram uma retomada do crescimento econômico, com segmentos produtivos tendo variações positivas na comparação com o ano anterior, assim como o faturamento global do parque industrial manauara. O ano se encerra com US$ 25 bilhões de faturamento, mais de R$ 100 bilhões. Mais de 20% de acréscimo em comparação com 2018.