Os novos investimentos na ordem de R$ 5 milhões para crédito rural anunciados pela Caixa, alinhados a redução das taxas a partir de 3,9% a.a para pré-custeio de despesas do ciclo de produção dos produtores enquadrados no Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural)  animaram o setor primário no Amazonas.

O presidente da Faea (Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas), Muni Lourenço, mostrou-se animado com os aportes. “É extremamente importante a ampliação da atuação das Entidades financeiras oficiais, como a CEF, no crédito rural e com taxas e condições favoráveis para o público do médio produtor, que representa uma parcela significativa da classe rural”.

Ele considera que medidas como esta estimulam o acesso dos produtores ao crédito e consequentemente fomentam o crescimento do setor primário. “Crédito rural desburocratizado e com juros baixos impulsionam a modernização e diversificação dos empreendimentos do agronegócio”, afirma.

No início deste ano, o setor divulgou o balanço da atividade em 2019 no Amazonas e indicou um crescimento na ordem de 17%. A performance positiva está ligada justamente às facilidades do crédito rural para o pequeno produtor o que serviu como estímulo para o aumento da produção das atividades do campo. Na ocasião, representantes do segmento no estado, consideraram que incentivos como estes, refletem em mais investimentos o que potencializam o segmento no estado.

De acordo com a CEF, a redução é 35% menor se comparada com a taxa máxima estabelecida no PAP (Plano Agrícola e Pecuário do Governo Federal). Demais produtores pessoas físicas e jurídicas poderão contar com taxas 39% menores, partindo de 4,9% ao ano. Já as agroindústrias e cooperativas terão disponíveis taxas a partir de 3,9% ao ano, representando uma redução de 51% em relação à taxa máxima estabelecida no PAP.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que o aumento de recursos representa um valor cinco vezes maior que o contratado no mesmo período do ano passado. “Essa estratégia de expansão da atuação do banco no setor do agronegócio mostra, mais uma vez, que é possível reduzir as taxas de juros em benefício da população, contribuindo para o desenvolvimento econômico do país”, ressalta.

O titular da Sepror (Secretaria de Produção Rural do Amazonas), Petrucio Magalhães Júnior, também avalia como positiva a iniciativa e destaca a importância deste tipo de investimento para o setor.

“Muito boa a notícia divulgada pela Caixa. O Sistema Sepror está de portas abertas para traçar estratégias para que esse crédito chegue ao nosso produtor rural, ao interior do estado e, com isso, melhorar a renda e fortalecer o nosso Plano Safra AM”.

Ao destacar que  sem incentivo não há crescimento ele estima um cenário favorável  para o agronegócio no estado e um dos desafios é superar o PIB do agronegócio.

Além do PRONAMP Custeio, as novas taxas anunciadas pela Caixa englobam o PRONAMP Investimento 5,7% a.a, Demais Produtores 4,9% a.a, Agroindústrias e Cooperativas Custeio 3,9% a.a e Agroindústrias e Cooperativas Comercialização e Industrialização 3,7%.

Foto: Divulgação

Fonte: Faea\Sepror