Representantes de 25 órgãos federais participaram na tarde desta segunda-feira (22) do quarto encontro de integração dos órgãos públicos federais atuantes no Amazonas. Promovido e sediado pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), o evento tem o objetivo de criar sinergia entre os órgãos e contribuir com o desenvolvimento regional.

A mesa do encontro foi composta pelo comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA), General Achilles Furlan Neto, pelo superintendente da Suframa, Algacir Polsin e pela superintendente do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Amazonas, Karla Bitar.

Na oportunidade, Polsin apresentou as ações que a Suframa vem desenvolvendo nos últimos meses voltadas para o desenvolvimento da região amazônica. Para ele, a idealização do encontro periódico com os representantes dos órgãos públicos federais é de suma importância para integrar esforços em prol do desenvolvimento regional. “Entendemos que a Amazônia é um verdadeiro ‘continente’. É necessário, portanto, que todo os esforços empreendidos na região sejam intensificados e unidos, e não diluídos. Por isso, um encontro como esse é muito importante. Muitas soluções e parcerias podem sair daqui”, enfatizou.

Esta é a quarta edição do encontro, sendo a segunda de forma presencial. Por conta da pandemia, as duas primeiras aconteceram de forma virtual. Durante o evento, foram proferidas duas palestras. A primeira sobre a situação atual do projeto Amazônia Conectada, do Exército Brasileiro. A segunda sobre a atuação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) na preservação dos bens culturais. Sobre o projeto que interliga digitalmente grande parte da Amazônia via cabos ópticos, o coronel Marcelo Corrêa, do departamento de ciência e tecnologia do Exército Brasileiro, enfatizou que, em setembro, foi entregue o trecho Barcelos, Santa Izabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira, com capacidade de conexão de até 100 Gigabytes por segundo. Já a superintendente do Iphan, Karla Bitar, destacou que é preciso conciliar as visões de obras de desenvolvimento com a importância de se preservar os bens materiais, imateriais e arqueológicos, citando casos como a estrada construída no Acre em cima de geoglifos – estruturas de terra escavadas no solo e formadas por valetas e muretas que representam figuras geométricas de diferentes formas.

A próxima reunião de integração dos órgãos federais está prevista para o mês de fevereiro do ano que vem, e deve acontecer novamente na Suframa.

 

 

 

Foto: Andrés Pascal/Suframa