A Confederação Nacional da Indústria (CNI) mapeou, pelo 15º mês consecutivo, a confiança do empresário no próprio negócio e na economia brasileira. É o que mostra o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), que variou de 58 pontos para 57,8 pontos entre setembro e outubro. Apesar da leve queda, o cenário é de estabilidade.

“É o 15º mês consecutivo de confiança. O otimismo, no entanto, está mais moderado do que o observado entre junho e agosto de 2021, quando o ICEI superou 60 pontos”, informa a CNI.

O índice varia de uma escala de 0 a 100 e, este mês, está novamente situado acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa a confiança da falta de confiança. “Foram entrevistados 1.488 empresários, sendo 607 de pequenas empresas, 543 de médias e 338 de grandes entre 1º e 7 de outubro”, diz a pesquisa.

O gerente de Análise Econômica da CNI, Marcelo Azevedo, explica que o Índice de Condições Atuais variou -0,7 ponto e ficou em 51,5 pontos, enquanto o Índice de Expectativas não variou, permanecendo em 60,9 pontos. “Ambos os componentes do ICEI estão acima dos 50 pontos, o que indica que a avaliação das condições atuais é positiva na comparação com os últimos seis meses e que as expectativas para os próximos seis meses são otimistas”, explica o economista.