Pela primeira vez na história o Dia da Indústria, 25 de maio, será comemorado de uma forma diferente, por conta da pandemia do coronavírus (COVID-19), nem todas as fábricas do Distrito Industrial, onde habita a Zona Franca de Manaus, estão com o funcionamento normal, algumas tiveram que reduzir os trabalhos por uma questão de segurança aos funcionários. Este ano, as comemorações ficam serão feitas gradativas, por conta das fábricas que voltam a funcionar de forma progressiva.

Não podemos perder a esperança. Tudo isso vai passar e os planos de crescimento da economia, dos empregos e da geração de renda do povo amazonense vão andar para frente. Avante! Sobre as expectativas para a retomada, 46% das empresas cogitam retomar a normalidade de suas atividades e já estabeleceram um plano de ação para isso.

Pra quem não sabe, a Zona Franca de Manaus move a região Norte, produzindo os principais produtos industriais, como TVs, celulares, veículos, aparelhos de som e de vídeo, aparelhos de ar-condicionado, bicicletas, microcomputadores e chips, aparelhos transmissores/receptores, entre outros, gerando mais de 500 mil empregos diretos e indiretos na região norte do país.

No ano passado a produção industrial do Amazonas conquistou a quarta maior de todo o país no mês de maio. O levantamento foi feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a boa colocação do estado se deve principalmente ao crescimento nos setores de máquinas e equipamentos (25,5%) e bebidas (13,0%).

HONDA VOLTA A FUNCIONAR NO DIA DA INDÚSTRIA

A Moto Honda da Amazônia confirma a retomada gradual das atividades produtivas de sua unidade fabril em Manaus (AM), a partir desta segunda-feira (25). As linhas de produção serão reativadas gradualmente, no início com ritmo reduzido, para adaptação aos novos protocolos de saúde e segurança.

Estão previstas avaliação de saúde com medição de temperatura no acesso à fábrica; horários diferenciados e intercalados para evitar aglomerações; reorganização de espaços, limitação do número de pessoas e adoção de critérios de distanciamento mínimo em locais como ônibus fretados, linhas de produção, refeitórios e salas de reunião; novos critérios de higienização, limpeza e sanitização bem como a adoção de máscaras.

Além disso, o treinamento e orientação às equipes será intensificado a fim de conscientizar os colaboradores sobre cuidados e métodos de prevenção, bem como apoiar a adaptação aos novos procedimentos. O departamento de serviço médico está preparado para o acompanhamento e orientação durante todo o process

NOVO LEVANTAMENTO IDENTIFICA SITUAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO PIM EM RELAÇÃO À COVID-19

Com o objetivo de reunir informações sobre a situação da indústria no enfrentamento da pandemia a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) realizou um segundo levantamento de dados junto às empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Numa amostra composta por 50 empresas que responderam à pesquisa da Suframa no mês de maio, dentre as maiores do PIM entre faturamento, investimentos e geração de empregos, 30% afirmaram que paralisaram totalmente as atividades, 20% optaram por não realizar nenhum tipo de paralisação nas atividades; 22% das empresas optaram por paralisar entre um quarto e metade das suas atividades; 12% optaram por paralisar até um quarto das suas atividades; e as demais, 16%, paralisaram.

De acordo com o superintendente da Suframa, Alfredo Menezes, os levantamentos realizados pela Autarquia irão subsidiar análises e direcionamentos de políticas públicas voltadas para o fortalecimento do PIM e o desenvolvimento da região. “Estamos trabalhando diuturnamente em contato constante com as empresas para ouvir as demandas e buscar as melhores soluções em prol do fortalecimento da nossa economia”, afirmou.