A produção de motocicletas de até 450 cilindradas no Polo Industrial de Manaus (PIM) corresponde a cerca de 90% da produção do setor, sendo uma das maiores responsáveis pela geração de emprego na capital amazonense.

Para incentivar ainda mais o crescimento do setor, um novo decreto do Governo do Estado estabelece diferimento no recolhimento de impostos nas operações de saída de mercadoria, o que resulta num ganho na produção dos fabricantes locais.

A medida compreende apenas a produção de ciclomotores, motonetas, triciclos, quadriciclos e motocicletas de até 450 cilindradas. Para o titular da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório Veiga, além de gerar empregos, a medida ajuda a implementar processos de industrialização de excelência, similar a outros grandes centros de produção no mundo.

O presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), Marcos Fermanian, afirmou que decreto é “o fôlego que os fabricantes precisavam para expandir a produção no estado”.

De acordo com relatório da Abraciclo, a produção de motocicletas fechou 2019 em alta, fabricando mais de um milhão de unidades no PIM. A estimativa é que 2020 seja o terceiro ano consecutivo em que o segmento irá ultrapassar a marca de um milhão de unidades produzidas.

O recorde no setor de motocicletas no país foi registrado em 2011, com 2,1 milhões de unidades produzidas no país inteiro. O Brasil é o quarto maior produtor de motocicletas do mundo, e o setor gera mais de 13 mil empregos no país.