Nova decisão e necessidade de dar continuidade à adoção de medidas de segurança, o autoriza os shopping centers de Manaus a estabelecerem pontos de coleta de compras eletrônicas em seus estacionamentos, em formato de guichês. Os shoppings deverão garantir um sistema de funcionamento para que a compra, pagamento e saída não ultrapasse 15 minutos e que o consumidor não desembarque do veículo.

Ainda de acordo com a decisão há também uma alteração nas normas para os estabelecimentos de peças automotivas, materiais elétricos e de construção. As medidas têm por finalidade restringir a circulação e aglomeração de pessoas de maneira para diminuir o número de casos em todo o Estado.

Por meio de nova decisão e necessidade de dar continuidade à adoção de medidas de segurança, ficam prorrogadas, a suspensão das seguintes atividades no âmbito do Estado do Amazonas, recreação e lazer, mas continua permitido que farmácias e serviços essenciais continuem funcionando. As medidas têm por finalidade restringir a circulação e aglomeração de pessoas, para assim, diminuir o número de casos do Covid-19 em todo o Estado.

ABERTURA GRADUAL DO COMÉRCIO

O plano de abertura das atividades econômicas foi desenvolvido por ciclos e seguiu, segundo o governo, os seguintes critérios de prioridade: vulnerabilidade perante à crise; número de trabalhadores e clientes em circulação; nível de aglomeração de pessoas; adaptabilidade do setor; arrecadação per capta; e impacto fiscal e na cadeia produtiva.

O governador Wilson Lima disse, por meio de assessoria, que dois fatores precisam ser levados em consideração: a queda dos casos de Covid no estado e o aumento da capacidade de atendimento da rede de saúde. “Até lá nós vamos fazer essa avaliação. Lá pelo dia 10, 11 vamos fazer uma reunião com toda a equipe e vamos avaliar se os números caíram ou se mantiveram. Se os números se mantiveram, a gente vai ter que prorrogar nosso decreto”, disse Lima, por meio de assessoria.

PLANOS PARA NÃO CORRER RISCOS

O plano considerou, conforme informações do governo, o pico projetado da pandemia na região metropolitana de Manaus, em estudo elaborado pelo governo; a necessidade de diminuir a pressão sobre a rede de assistência de saúde; de disponibilizar ao setor produtivo um cronograma de retomada com base na curva de queda de casos; e de garantir a segurança pública e a ordem social.

O plano prevê, ainda, ampliar a capacidade de testagem e monitoramento de sintomas para identificar e ajustar o cronograma e a velocidade de liberação das atividades econômicas, protegendo grupos de risco.

O governador Wilson Lima informou, ainda, que é preciso levar em consideração que o pico pode se manter, conforme o comportamento social. O estudo considerou variáveis como isolamento social, mortes por dia, quantidade de leitos de UTI de hospitais públicos e privados, entre outras.