Com o objetivo de complementar o debate sobre “Humanidade e ambiente: impactos, desafios e perspectivas”, tema central da XII Semana Acadêmica do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amazonas (ICB/Ufam), promovida entre os dias 16 e 19 de novembro, a equipe de coordenação do evento incluiu a bioeconomia como um dos assuntos de destaque na programação. O Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) contribuiu com a discussão por meio das participações do gestor Fábio Calderaro e do pesquisador Edson Pablo.

Para falar sobre o tema “A contribuição do CBA para o desenvolvimento sustentável da Amazônia”, o pesquisador do Centro e doutor em Bioeconomia, Edson Pablo, fez uma apresentação sobre o CBA e as atividades desenvolvidas pelo corpo científico da instituição que objetivam, dentre outros pontos, alavancar a bioeconomia amazônica, em especial diante de tamanha diversidade e potencialidades existentes na região.

O fomento ao empreendedorismo biotecnológico e os reflexos positivos do avanço da bioeconomia para a região, o País e o mundo – especialmente quando se trata da sociedade e dos índices de desenvolvimento humano – foram alguns dos pontos que mais atraíram a atenção de quem acompanhou a apresentação.

Já a participação do gestor do CBA, Fábio Calderaro, ocorreu por meio de uma entrevista transmitida ao vivo durante a programação do evento. Questionado sobre temas que foram desde a relevância do Centro para a sustentabilidade da Amazônia até oportunidades de trabalhar na instituição, Calderaro buscou dirimir dúvidas e falar sobre as contribuições que o CBA promove há anos na região, inclusive com possiblidades de transferência de tecnologias ligadas à bioeconomia.

Ao final, ele reforçou que “o CBA e a Suframa (Autarquia à qual o Centro é vinculado) têm trabalhado para desenvolver as cadeias produtivas locais e com isso conseguir estimular cada vez mais atividades sustentáveis, promovendo emprego e renda para a região”.