Uma das propostas do Brasil no Fórum Econômico de Davos foi a criação de um Centro Mundial de Negócios Sustentáveis em Manaus, o coração da floresta amazônica. Infelizmente os atores públicos e privados confundem Bioeconomia com beneficiamento de produtos florestais. Quem pode conotar este termo é a instituição científica que faz dessas indagações seu metiê diário. Bioeconomia não pode ser desconectada de inovação tecnológica, senão faremos o desmatamento com a benção governamental. Poderíamos, por exemplo, promover a extração radical do açaí ou buriti e colocar as espécies em extinção pela ganância predatória mal intencionado. Temos que adotar sempre o padrão da Sustentabilidade. 

MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL 

Podemos fazer Manejo Florestal Sustentável, MFS, com os 90% de floresta intocada. Isso significa adensar e fortalecer a floresta, extraindo madeira com inteligência sob rigorosos critérios de certificação, ao preço internacional de mercado que pode alcançar US$ 4 mil/m3 no mercado europeu. A ONU aceita e recomenda esta atividade.

FORTALECER A FLORESTA 

Manejar é robustecer a floresta e oferecer alternativa ao interior, ao empreendedor e ao ribeirinho, sem depredação. Mapear, além disso, identificar e coletar mudas de alto valor comercial para propagação em laboratório. O CBA Centro de Biotecnologia da Amazônia, em ampla parceria e rede regional/nacional tem equipamentos sofisticados nesta direção. 

CHEGOU A HORA 

Cultivar espécies para extração de óleos, resinas, extratos, moléculas e biomoléculas com demanda industrial para cosméticos, fármacos, nutracêuticos, agregando valor pela inovação tecnológica. Além disso, um Programas de Agricultura Orgânica para abastecer Manaus que importa 90% dos alimentos que consome. 

FACA, QUEIJO E GOIABADA NA MÃO 

Nunca é demais lembrar que o Peru faturou US$ 1,5 bilhão de exportação de alimentos orgânicos para Europa. Ainda cabe, nesta imensa área, que será oferecida para grandes corporações de biotecnologia desenvolver com os atores locais programas de P&D. Programa de produção de mudas para Reflorestamento: o Brasil prometeu plantar 12 milhões de hectares de floresta até 2030.