No dia 9 de maio, a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) chegou aos 18 anos de história. O trabalho da instituição é voltado para o planejamento de ações estratégicas e de execução de políticas públicas que potencializam o turismo no Estado.

Nesse período, houve um crescimento exponencial no quantitativo de turistas que visitam o Amazonas, saindo de pouco mais de 203 mil, em 2003, para 624.744, em 2019, um crescimento de mais de 200 %.

A expansão no quantitativo de turistas contribuiu para o aumento da movimentação financeira que contempla todo o setor do turismo, do micro ao grande empresário do ramo hoteleiro. Em 2003, ano de criação da Amazonastur, o Estado movimentou pouco mais de R$ 80 milhões no setor; em 2019, o impacto na economia passou de R$ 1 bilhão.

Trabalho estratégico de captação de dados

De acordo com o presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, para se chegar a esse crescimento e consequente movimentação financeira, há um trabalho estratégico de captação de dados que contribuem para o desenvolvimento e realização de ações, de planejamento e execução de atividades que potencializam o turismo.

“Todo esse trabalho é feito de forma integrada pelas áreas estratégicas da Amazonastur. É com competência e compromisso que continuaremos trabalhando para fortalecer o turismo do nosso estado, valorizando as pessoas e o potencial da nossa região, a fim de que o turismo vire a matriz econômica do Amazonas”, destacou o presidente.

Promoção do turismo

A promoção do destino Amazonas para o Brasil e mundo é coordenada pela Diretoria de Marketing, que atua com base em dados estatísticos levantados pela própria Amazonastur e, também, com informações da Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo.

Estados Unidos, Alemanha, França, Inglaterra e Japão são os mercados prioritários dessa promoção, tendo em vista que a maior parte dos turistas estrangeiros são desses países.

“Nesse mercado internacional, o grande foco é o turismo de aventura, pesca esportiva e também a parte cultural.  Para cada mercado que a gente trabalha a imagem do Estado, é feito todo um fortalecimento institucional com operadores de turismo daquele mercado [país]”, disse a diretora de marketing, Ana Cláudia Rego.

Potencialidades

Para realizar a transformação das potencialidades turísticas em produto viável, a Amazonastur, por meio da Diretoria de Desenvolvimento de Turismo, realiza uma ação que pode ser resumida em três principais ações: capacitação, legalização e projetos.

Ao identificar um potencial turístico, a empresa realiza todo um trabalho para identificar quais as necessidades desse potencial para que seja transformado em um produto turístico. Essa avaliação analisa e desenvolve ações de capacitação, legalização, além de infraestrutura.

“Nós identificamos os potenciais produtos que podem ser desenvolvidos e os produtos que o município já possui. Verificarmos as necessidades de capacitação, qualificação e cursos”, acrescentou Denise Bezerra, diretora de Desenvolvimento do Turismo.

Capacitações

As capacitações são realizadas por diversas instituições parceiras, entre elas, sistema S, Governo do Estado, Governo Federal e prefeituras. Ao longo dos 18 anos, 26 mil pessoas que atuam ou pretendiam atuar no turismo foram alcançadas em todo o Amazonas.

A Amazonastur garantiu a implantação de 34 projetos de infraestrutura que potencializam o turismo em diversos municípios do estado, entre eles estão: Centros de Atendimento ao Turista, Centros Receptivos Fluviais, pousadas, sinalização turística, terminais fluviais, trilhas e anfiteatro.

Há realização de treinamentos com agentes de viagens e operadores de turismo de outros países e de outros estados do Brasil. Ao longo dos 18 anos de atuação, 1.600 operadores de turismo foram capacitados nos Estados Unidos, Espanha, Alemanha, Portugal, Itália, Chile e Canadá.

Centro de Convenções e projetos em andamento

Em abril deste ano, foi inaugurada a segunda etapa do Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques. O complexo consolidou-se como o maior centro convenções na Região Norte, credenciando o Amazonas para receber realizações de grande porte, inclusive internacionais.

Atualmente, o principal foco é o Plano Emergencial de Retomada do Turismo. O plano prevê a implantação de ações em curto, médio e longo prazo para o setor e busca estabelecer diretrizes para o fomento e prevê uma ação estratégica dividida em três fases: Resposta, Estabilização e Retomada.

Na área da infraestrutura, está em andamento no município de Barcelos a obra de reforma e ampliação do Terminal de Passageiros do aeroporto da cidade. O município é um dos principais destinos de pesca esportiva no Brasil, recebendo cerca de 10 mil turistas por temporada.