O mês de fevereiro avançou em importações e exportações em Manaus. A conclusão vem da análise dos dados do Governo Federal, que mostram que as vendas externas do Amazonas voltaram a emergir.

Na comparação com janeiro (US$ 58.31 milhões), fevereiro totalizou US$ 64.40 milhões e esse montante ficou 20,80% acima da marca registrada 12 meses atrás (US$ 53.31 milhões). O bimestre (US$ 122.71 milhões) também foi superior (+4,99%) ao do mesmo período de 2019 (US$ 116.88 milhões).

Os números de importação do Estado chegaram a US$ 804.90 milhões em fevereiro deste ano, 6,22% a mais do que o registrado no mesmo mês do ano passado (US$ 757.76 milhões).

Houve, contudo, uma desaceleração de 15,29% em relação ao valor obtido em janeiro (US$ 950.17 milhões). No acumulado, os valores sofreram acréscimo de 4,17%, com US$ 1.75 bilhão (2020) contra US$ 1.68 bilhão (2019).

Em fevereiro, as compras do Amazonas no estrangeiro foram encabeçadas por partes e peças para televisores e decodificadores (US$ 114.53 milhões), circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos (US$ 97.20 milhões), óleos de petróleo ou de minerais betuminosos (US$ 62.20 milhões), celulares (US$ 61.23 milhões) e platina (US$ 58.84 milhões). No confronto com os números de 12 meses atrás, houve queda nos dois principais itens e alta nos outros três.

Na lista de nações fornecedoras para o Estado, destacaram-se China (US$ 286.35 milhões), Estados Unidos (US$ 120.37 milhões), Vietnã (US$ 64.17 milhões), Coreia do Sul (US$ 62.12 milhões) e África do Sul (US$ 57.34 milhões). Todos os países da lista registraram aumento nos números em relação a 2019.