Há dois anos, de olho na preparação das letras para Orçamento Misto do Congresso Nacional para o ano de 2018, houve muita mobilização  do próprio poder público local, das entidades do setor produtivo da ZFM, mais o segmento dos cientistas e uma silenciosa e esperançosa torcida do tecido social, rumo ao resgate e instalação em definitivo do polo de bioindústria que o Centro de Biotecnologia da Amazônia representa.
A palavra de ordem é a Bioeconomia
O encontro, organizado pelas entidades da indústria, CIEAM e FIEAM, da Agricultura, FAEA, e do Comércio, ACA, com apoio do CBA, ocorreu na sede da FIEAM, e da Suframa, nos dias 18 e 19 de agosto, e resultou na preparação de estratégias para assegurar emendas no Orçamento-2017, da União, junto aos parlamentares da bancada federal do Amazonas e vizinhança.
Mutirão interinstitucional
Sintomática a presença dos técnicos do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, empenhados no sucesso do CBA. Os recursos são modestos, os objetivos emergenciais, mas os resultados esperados não poderiam ser mais oportunos, na direção da Bioeconomia. Um dos projetos é a criação do Laboratório de Métodos Alternativos ao uso de animais para avaliação de biossegurança toxicológica.
Sustentabilidade  e prosperidade.
Essa estrutura permitiria ainda, colocar cosméticos, fármacos e nutracêuticos certificados no mercado. Outra emenda visa empinar o desenvolvimento da cadeia produtiva do Ananas comosus (Curauá – espécie de abacaxi) com a produção de mudas micropropagadas e o uso industrial da fibra, tecnologias específicas para criar novos produtos com aplicação nos setores da construção civil, têxtil e do moveleiro, e substituição da fibra de vidro nas indústrias de Manaus.
Daqui pra frente…
Nesta sexta-feira, os cientistas, alguns que restaram, outros servidores de nível técnicos, a classe política e alguns curiosos foram espiar a chegada do ministro Ricardo Sales, do Meio Ambiente, que chegou ao CBA ao lado do governador, Wilson Lima e do anfitrião, o coronel Alfredo Menezes, para anunciar as medidas  do governo Bolsonaro para criar ambiente de negócios sustentáveis. Alfredo disse que daqui pra frente tudo vai ser diferente.
…tudo vai ser diferente
O titular da Suframa disse que historicamente o CBA tem sido alvo do descaso e da ignorância, padece de recursos até para comunicação, infraestrutura, insumos, por isso uma das metas de sua gestão e dedicar-se “…à recuperação do seu Parque Tecnológico, através da ampliação, adequação e atualização do instrumental já existente, a plataforma analítica, para diversificação de serviços já demandados pelo mercado”.
Cadeia produtiva da castanha
Tem ainda a consolidação e disseminação da cadeia produtiva da castanha visando à produção de frutos e madeira de qualidade. Produção intensiva de mudas da Bertholletia excelsa, a Castanha do Brasil, da Amazônia, do Pará significa espalhar um tesouro biológico milenar. A ampliação dos plantios comerciais da espécie, como o que foi feito em Itacoatiara, significa viabilização da melhor qualidade de vida para as populações do interior, geração de emprego e renda, desenvolvimento de produtos pelo aproveitamento dos resíduos (ouriço, casca, biomassa).